terça-feira, 10 de janeiro de 2017

VOZES ESCRITAS

As disfunções, entre as funções, alegam.
Unicamente, quando o olhar cessa ver.
Insofismáveis aclarações, entre si negam.
Jeito simples e fácil, tanto quanto viver.

Mas, as sofreguidões cingidas latejam.
Perante um temor contundente e voraz.
Juntamente, corpo e alma, pelejam.
Assim, um inusitado rebate satisfaz.

Todos os dias, há uma promessa nova.
Reescrevendo, simples textos riscados.
Como uma hegemonia, posta à prova.
Tentando abrandar, míseros pecados.

Submergido coração, centro coeso.
Entre as palavras mudas, as escritas.
Percebe um sentimento puro, indefeso.
Lindos termos cunhando ,vozes ditas.

As vozes escritas, gritando bem alto.
Requerendo a si, uma interpretação.
Como uma gaivota, em pleno asfalto.
Visando as ondas, em arrebentação.



Nenhum comentário: