quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

APELIDO

Represento uma canção perdida.
Que unicamente canta o amor.
E no sentido verdadeiro da vida.
Explicando reflete,e concebe valor.

Assumida, em palavra ambulante.
Reciclo os ventos, estrelas amofino.
Aguardo um tempo, perto distante.
E em poesia, as palavras refino.

A ciranda das letras, quando no ar.
Ficam paradas, esperando um papel.
Gosto do tempo, sempre a me empurrar.
Mostrando uma prosa,rima e cordel.

Escrevo teu nome, com sentimento.
Suponho brincar, com a saudade.
Quando te toco,aquele momento.
Ao qual dei apelido,de felicidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário