segunda-feira, 20 de março de 2017

ABORDAGEM

Eterno legado,tempo só.
Tentando roubar a alegria.
Unindo assim, cego nó.
Estreitado minha harmonia.

Feito uma voraz ventania.
Transparência tão mortal.
Impressão de uma invernia.
Uma  frieza longitudinal.

Vagando vazia, como nada.
Rente me tocando devagar.
Uma ansiedade apressada.
Com desânimo vem intercalar.

Aos poucos,e muito acanhada.
Ao meu lado, vem se deitar.
Como quem, jamais desagrada.
Com esse jeito, de me abordar.

Contudo a ninguém, digo nada.
Esperando o tempo escorrer.
Aborda-me, como temporada.
Porém jamais, vai me vencer.



Nenhum comentário: