quarta-feira, 29 de março de 2017

DEFINITIVAMENTE

A precisão sempre ampara o momento.
Distintas saudades rabiscam as imagens.
Cerzida saudade de avesso cinzento...
Um contemporâneo, em muitas tiragens.

A rima, um contento quase necessário.
O verso, uma representação emprestada.
Confiável taciturno, pequeno relicário.
Enquanto história, encanto e calvário.

As esquinas, que passeiam em mim.
Com o coração apertado rememoro.
Um sonho realizado, mas enfim...
São estas mesmas, que tanto adoro.

Um corpo imenso, concreto armado.
Que abriga sempre, uma multidão.
Ainda espero terminar meu legado.
Definitivamente entregar meu coração. 

Um comentário:

  1. Muito bonito, amiga, gostei do conteúdo e do ritmo! E das metáforas empregadas.
    Gostoso de ler!
    Beijo!

    ResponderExcluir