segunda-feira, 3 de abril de 2017

ACASO

Teu nome escrito, assim a esmo.
Ao longo do tempo, em contramão.
Sou ainda a mesma, és o mesmo.
Que habitam um só coração...

Uma estrela, no céu esquecida.
Ponto único, de encontro nosso.
Assim, representando vida...
Quanto eu tenho, quanto eu posso.

Tentei viver e  contudo fingir.
Mas, muita coisa, o tempo ensina.
Porém,negar,apenas mentir.
Entardecendo, em olhar de neblina.

Contudo o tempo, alegou coisas tantas.
Quando apenas viram confirmar.
Sempre presa, em nossas gargantas.
Eternamente, uma palavra amar.



Nenhum comentário: