sábado, 8 de abril de 2017

TÃO DISTRAÍDOS

Transporto teus beijos, no sonho meu.
Com eles, eu sobrevivo, em dias lentos.
Sabemos do amor, que a vida ofereceu.
Beijos tão distraídos,mas corações atentos.

Curvado horizonte, beijado descobrimos.
Dentre emoção, numa tarde unificada.
Tentamos até fugir, mas nos redimimos.
Escalando os degraus, da mesma escada.

Apresentados os teus beijos, ao vento.
Soltos e livres, numa total transparência.
Rodopiando a vidraça, de meu pensamento.
Tanto pecado, quanto conjuga inocência.

O nosso sonho, nos teus beijos diários.
Chegando de longe, numa página nova.
Regando a esperança, um leve fadário.
Colocando ao amor, assentada prova.

Beijo de vento varrido, de folhas mortas.
Contendo uma saudade, mútua entre nós.
Bem tentamos corrigir, essas linhas tortas.
Quando uma saudade, nos deixa tão sós.

Guarde teus beijos, enquanto os desejos.
Que os regarei,assim meu eterno amor.
Mesmo estando estes, só dentre ensejos.
Serão beijos brandos, como pétalas de flor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário