sexta-feira, 5 de maio de 2017

ENCOMENDA

O tempo nem tempo tem.
E,quase nada altera.
Como da linha, o trem.
Onde a vida espera.

Lento contagioso, vai só.
Por todos, ele incide.
Um lembrete no nó.
Quando parte,ou regride.


O espelho, conversa bem.
Com a aponta refletida.
Mas,o tempo que vem.
Também cura ferida.

Por isso,quando cansada.
Peço ao tempo, carregue.
Vestimenta amarfanhada.
Lave bem,e  me entregue

Nenhum comentário:

Postar um comentário