terça-feira, 25 de julho de 2017

BUSCA

Eternamente, a buscar, um sentido.
Domínios de encantos, e necessidades.
Porém, repetindo, sempre o vivido.
Por mais, que se busque, diversidades.

O dia amanhece, e o seguimos, então.
Construindo elevados castelos, ao redor.
Porém, viver consiste, em uma condição.
Jamais importando, a maior, ou menor.

Dessa verdade, um alimento da chama.
Como um vento brando, atiça o fogo...
O sonho aparece, e fatídico reclama.
Porém, sempre preso, ás regras do jogo.

Busca eterna, doutrinado viver, enfim.
Porém, viver mesmo, está no presente.
Pois, de cada marcha, desenhado ínterim.
Representa um elo, da intensa corrente.

Uma percepção, de rotina cansativa.
Mas, algo  diferente, um foco contra mão.
Um sonho impossível, um só, e á deriva.
Jamais vivenciar,mas permitir tal ilusão.




Nenhum comentário:

Postar um comentário