domingo, 16 de julho de 2017

QUASE

Probabilidade, quase acorrentada.
Concepção, “quase” impossível.
Vínculo forte, ancorado ao incrível.
Fastígio, dentre sintonia calada.

Portanto, mediante  dificuldade.
Amparada pelos tetos celestes.
E em sobrancelhas campestres.
Quase impossível, diversidade.

Quase indiferente descrença.
Quando coração, mal alimentado.
Contudo, pelo sonho regado.
Acende, sem jamais desavença.

Páginas escritas e juntos.
Independentemente, da exposição.
Jamais desampara, estende a mão.
Continuidade parecença de assuntos.

Quase, e assim como antes...
Estende adiante... Que felicidade!
Totais e vinculadas veracidades.
Quando, colheitas abundantes.

A simplicidade cura os lanhos.
Herdados, “quase” sem querer.
Uma prova concreta, simples viver.
Implicam, ressarces tamanhos.

Nenhum comentário: