segunda-feira, 17 de julho de 2017

RITMO

Um dia se assenta solenemente.
Como a mão, envolvida na luva.
Suaves, às nuvens voando rente.
Prenunciando gotas de chuva.

Assim, passam apressadamente.
Junto deste, também passamos.
Largado no passado, o presente.
Para refletirmos, se convenhamos.

Amanhã esperamos, dias amenos.
E, extraída do hoje, a experiência.
Sugiramos grafar,com termos serenos.
Assim chamamos, de nossa vivência.

Somos um barco, ao tempo solto.
Deslizando, em águas correntes.
Um conto, e muitas aventuras envolto.
Angariando experimentos recorrentes.

Somos respaldados do livre arbítrio.
Porém, aprisionados por opção...
Exposto costume simples e vítreo.
Pisando no ritmo dessa embarcação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário