sexta-feira, 29 de junho de 2018

A PAIXÃO E O MAR

Mar, doce, bravio, sempre incide.
   Súbitas paixões, e ondas ligeiras.    
Frágil catraia, dentre corredeiras.
Ansiosa gaivota, esperado revide.

A paixão estipulada, na hora exata.
Ansiando entrar, ranzinza emoção.
Baila apreensiva, dentro do coração.
Antídoto da cura, porém tanto mata.

Imensidão solitária, exposto encanto.
Ondas sobressaltam, sempre atraem.
Longínquas veredas navegam, saem.
Á paixão destemida, ousado acalanto.

Quando brisa do mar, traz sensação.
Encantamento tardio, nas montanhas.
Onda de nuvens,arejadas entranhas.
Pousando de leve, dentro do coração.

Ao mar que me leva, em doce vontade.
Imprimindo um lema, a me convencer.
Recorrente o amor, na alegria de ser.
Ventania vaporosa carregando invade.

Nenhum comentário: