sexta-feira, 29 de junho de 2018

VIDRAÇAS

Um sonho, letárgico divagar.
Rodando, conferindo o redor.
Decorando e sabendo de cor.
Sonhando e parecendo levitar.

Enquanto,e lentamente passa.
Exímio ser,que Jamais percebe
Porém, dentre a lívida vidraça.
Mundo, uma vida me concebe.

Repousado sonho, assim isento.
Movimentado o tão transparente.
Voejando  livre, a  todo momento.
Tracejando a linha subsequente.

Perdida vidraça, numa esquina.
Ancorando a vida,  num sonho.
Vidraça como, tinha a  Coralina.
A inspiração, num olhar tristonho.

Coloridas vidraças, tanto piscam.
Banham um lindo rosto, também.
Aquelas vidraças, ainda arriscam.
Atingindo tudo, e indo muito além.

Nenhum comentário: