terça-feira, 10 de julho de 2018

ANALOGIA

Tão diferentes, quanto as distâncias.
Esticando entre nós, corretas linhas.
Sem  conclusões tuas, nem minhas.
Ruindo somente, acuadas instâncias.

Então nossa vida, largada por conta.
Indiferença aguardando,a  insensatez
Trajando uma pálida, e inconstante tez.
Tantos  caminhos, uma mesma afronta.

Admitindo,que tímido sentimento existe.
Atrapalhado,dentre volúvel disparidade.
Quando qualquer palavra, soa  verdade.
Enquanto aquela antiga, história insiste.

Asseveradas muitas palavras artificiais.
Reverberada altivez, ancestral afronta.
Estendendo a mão, fazendo  de conta.
Concessão acanhada,  simples canais.

Analogia ocultando,esse  triste dilema.
Disparidade persevera, tão inventada.
Isolamento, numa  conexão articulada.
Dentre silêncio, dentre complexo tema.

Nenhum comentário: