sábado, 28 de julho de 2018

PRESSUPOSTO

Quanta coisa,  teu coração diria.
Não fosse feito, de pedra cristal.
Se não apenas, tal rude fantasia.
Batendo a esmo, perdido  afinal.

Um coração,  jamais  manifestado.
Recusando  qualquer sentimento.
Adereço de pedra, o peito fechado.
Sente apenas, prazer do momento.

Logo depois, num escuro envolto.
Invadindo essa alma ,triste vazia.
Um descompromisso voando solto.
Buscando nova página, e todo dia.

Enquanto acreditando morar em ti.
Um encanto, das pessoas sinceras.
Infelizmente, muito  triste pressenti.
Nada daquilo pressuposto, tu eras.

Ficando em paz,siga  perambulando .
Escrevendo tua história tão estranha.
Numa ausência dorida ,manifestando.
Prazer do momento,a frieza tamanha

Nenhum comentário: