quinta-feira, 12 de julho de 2018

QUIETUDE

Tempo um senhor, absoluto da vida.
O mesmo resolve, quando procura.
Determina chegada, depois partida.
Aciona lembranças, ferimento cura.

Andando no tempo, logo existimos.
Degrau por degrau ,assim galgando.
Enquanto chegam, e talvez partimos.
Somente nunca, sabemos o quando.

Ao mal entendido, pedindo  retorno.
Convocar desculpas, logo  perdoar.
Tempo de geleiras, arejado e morno.
Apagando  ódio, e ensinando  amar.

Abrindo as páginas, para sabedoria.
Doutrinando sempre, insinua o saber.
Existência comporta,  a segunda via.
Portanto valendo,  a essência do ser.

Essência portando  funda grandeza.
Jamais medida, quanto ter, e  poder.
Implica  contudo, extinguindo  frieza.

Buscando a quietude, enquanto viver.

Nenhum comentário: