sábado, 14 de julho de 2018

TARDIO SONHO

Tardio sonho, escrevendo levemente.
Caminhando ao lado, de uma finitude.
Quando,  escrevendo tão  lindamente.
Meramente a vida, concreta e amiúde.

Pronunciadas frases, tantas arestas.
Passos  esperançosos, assim  tantos.
Lapso morno e prenunciadas festas.
Porem as vias, só inventam prantos.

Cabendo dentre, a escassa serventia.
Quando coração arruma, e engaveta.
Invencível  contudo, aquela fantasia.
Umas recordações, sempre acarreta.

Mãos vazias, também contradizendo.
Tão usufruídas, em ternas gentilezas.
Quando dor inócua, toca estendendo.
Tardio sonho, só levemente  tristezas.

Nenhum comentário: