sábado, 7 de julho de 2018

APARÊNCIA

Tuas lembranças,voando pelos vãos.
Quando distraídos,novo dia passado.
Ainda somos os mesmos, tanto  sãos.
Apenas deixado, um ao outro de lado.

Esperança,quando fenece comporta.
Um vácuo varado, adentrando o feito.
Relutante  coração, fechando a porta.
A mesma que um dia,abrindo no peito.

Tua ausência explicando, o terminado.
Minha solidão,recorrendo uma calma.
Esperança, sentindo  desacostumado.
Sentimento tocando, essência da alma.

Novas nuances pairando no retrato.
Representado por uma inexistência.
Enquanto vou te apagando de fato.
Esquecendo o teatro, tola aparência.

Nenhum comentário: