quinta-feira, 23 de novembro de 2017

SILÊNCIO

Quando o silêncio, pede pausa.
Convém ouvir a tal voz...
Em desconhecimento de causa.
Soando como vento veloz.

A voz da consciência grita.
Em silêncio para entender.
Uma condição aflita...
Que precisa escorrer.

Ouvir o silêncio de outrem.
É conversar com o coração.
Sabendo que a vida vem.
Revestida depois de gratidão.

O nosso silêncio reza...
Ás vezes sem expressões.
Porém á alma que preza.
Contingentes de corações.

O tempo, uma voz reedita.
E tudo, de novo, começa...
Caindo palavra bendita.
Assim, cumprindo a promessa.