terça-feira, 19 de setembro de 2017

ETERNA


Ao se fazer eterna, jamais pensou.
Que teria uma vida como modelo.
E sob luzes fortes, o tempo passou.
Tão clara evidente,servil apelo.

Tinha no olhar,qualquer segredo.
E no coração,uma força maior.
De quem a vida desbrava sem medo.
Cartilha esta,sabida de cor.

Propunha segui-la, sem expressão.
Apenas, aos fatos se consumava.
Portando na frente o coração.
Como doutora em sapiência reinava.

Em imbatível entardecer se punha...
Sob um sol dormente dizendo.
Todo legado aos poucos compunha.
Sempre eterna, partiu se fazendo.

E, se não disse tudo...
Reverteu num livro de ações.
Impressão suave, dialeto mudo.
Escritas intensas, em  suas definições.

Que jamais impunha, mas soube vencer.
Em simples episódio, porém doutrinou.
Amor inteligente, sem esmorecer.
Uma linda história ,e eterna grafou.