quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

AGORA

Nada mais perguntarei doravante,meu amor.
Tendo as minhas perguntas todas encerradas.
Sabendo que na vida, uma esperança a vapor.
Prometendo mil anos,simplesmente entornada.

O sonho dormirá mais cedo,comigo presente.
Mediante as lembranças,parecendo esvaídas.
Fora uma felicidade,acanhada, tão recorrente.
Quão simplesmente,permeando nossas vidas.

As minhas perguntas dormem nos livros meus.
Em lindos poemas escritos, pelas tuas atitudes.
Enquanto, vou tentando,desvencilhar do adeus.
Assim então, permaneças,assim, jamais mudes.

Uma dor certamente,perpassa meus momentos.
Andando nestas  ruas,que me trouxeram para ti.
Aglomerado de coisas,agora meus sentimentos.
Contabilizando uma felicidade, incrivelmente vivi.