terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

REMATE

Quem te feriu, incidiu com tua dor.
E simplesmente, foi embora levando.
Sempre perpetrará, ferida indolor.
Enquanto viver,e apenas tentando.

Jamais fira esse alguém,perdoe, siga.
A fim de não ser,o mesmo ferido.
Deixe ,que o tempo presuma e diga.
Certamente qual, verdadeiro sentido.

Entendimento brando, sempre se faz.
Deixando escorrer a depuração.
Onde uma cicatriz, cerra e jaz.
Retendo consigo combinada coesão.

Se teu coração conversar contigo.
Ouça em silêncio, o que tem a dizer.
Antigo anseio, remate ambíguo.
Que tudo permite, até mesmo sofrer.

Porém, padecer, á perpetração.
Constitui uma dor,tão passageira.
Puídos portais,que doutrinarão.
Ciência á esmagar,supostas pedreiras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário