sexta-feira, 10 de agosto de 2018

FANTASIOSA


Ligeira habilidade, ainda a lembrança faz.
Pensando qualquer coisa, num anoitecer.
Quando, tendendo assim, buscando paz.
Afetuosa rósea, num  horizonte aparecer.

Fantasiosa, e numa meditação distraída.
Talvez, feito um farol claro,  transparente.
Como, a canção antiga, tão reconhecida.
Ou saudade, quando  sonho, bate rente.

Quando imensa emoção, ainda carrega.
Consigo  nas lembranças autografadas.
Uma possível lágrima, como chuva rega.
Arrematadas  gavetas , bem arrumadas.

Amando  somente, para uma vida inteira.
Pasmando  encanto, mas  desencantado.
Talvez sendo, a minha  tristonha  maneira.
Fintando ser então, meu terno  namorado.

Enquanto, dias correndo numa direção.
Mas, minha janela, seguindo raio do sol.
Quando no horizonte, sol  tocando  chão.
Semelhado nota,  contrafeita por  bemol.

Frígidas tardes, caíram igualmente rentes
Constituindo, inusitado estilo o entardecer.
Uns  dias finando, junto dos  lentamentes.
.Apenas  fantasiosa, fantasiando para  viver.

Nenhum comentário: