quarta-feira, 17 de junho de 2015

AFAZERES


Perpassando uma vida,rodopia.
 Aperfeiçoa,uma tarefa delegada.
Compactuando,uma eterna alegria.
Tristeza, pelo tempo, apagada.

 Mirando sempre,o mesmo rumo.
Permissão doutrinada,como amar.
Extraído do tempo,o puro sumo.
Como vivência, rimando aprimorar.

Sabedorias,no tempo,a insistirem.
 Incumbida aprendizagem guardiã.
Quando janelas,ao mundo abrirem.
Várias cores, incidindo uma manhã.

Todo dia,recomeça lentamente.
Repetindo,porém dizendo adeus.
Nossa vida,um fato,tão recorrente.
Distribui, os afazeres, teus e meus.


 

Nenhum comentário: