sábado, 20 de junho de 2015

AUTO DEFINIÇÃO


Ventanias espalhando, pouco de mim.
Fácil entender, o porque disso, enfim.
Assim procurando, livre vão para fluir.
Palavras reprimidas, tentam escapulir.

Triste isolamento, a nuvem e monção.
Dia acabrunhado, uma tarde de verão.
Uma promessa, ás vezes, ao inverso.
Apaixonada, ás rimas ,também versos.

Cada promessa, como um juramento.
 A lembrança, um triscado atrevimento.
Tanto parecida, e mudada, facilmente.
Imperada alma, lutando teimosamente.

Distraído jeito, entendimento de viver.
Tragado ao peito,auto definição de ser.
E jamais traída, uma amofinação além.
Imensa solidão, aglomeração também.

Nenhum comentário: