quarta-feira, 17 de junho de 2015

LASSIDÃO


Notando a consciência tranquila.
Recompondo, nova vida devagar.
Lentamente, seguindo uma fila.
Evadido pensamento, ao chegar.

Porém, mesmo assim, a certeza.
Perfilando, minha constituição.
Guardada na gaveta, da beleza.
Colocando, a luz da contra mão.

Preferindo esquecer, tal finitude.
Pensando, como algo inatingível.
Contudo, em meus dias amiúdes.
Chegando a mim, episódio invisível.

Á devotada lassidão, tão comparte.
Trocando tudo, acatando teu pedido.
 Sempre rouba,a minha melhor parte.
Depois devolve á vida,outro sentido.


Nenhum comentário: