sábado, 20 de junho de 2015

OLHOS SERENADOS

O sol diz alguma coisa, feito olhar.
Relutante, ofuscamento, luz e cor.
Faltam palavras, melhor jeito, calar.
Miragem enviesada, incluída a dor.

Quando deitas leve, em lembranças.
Lençol alvo, bordados falantes.
Feito silenciado, assim, a lua dança.
Escondida, entre nuvens viajantes...

O sereno, da madrugada orvalha.
Teus olhos serenados cintilam.
Reluzente, assim, atrapalha...
Doridas, em meus olhos destilam.

Sabes assim, um pouco, desse tudo.
Construída sinceridade, amor, e carinho.
Ao meu coração, quando dizes mudo.
Em meu corpo, ramos, para teu ninho.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário