sábado, 20 de junho de 2015

OLHOS SERENADOS

O sol diz alguma coisa, feito olhar.
Relutante, ofuscamento, luz e cor.
Faltando palavras,preferindo calar.
Miragem enviesada, inclusão e torpor.

Quando nossos olhares alcançam.
Lençol alvo, bordados falantes.
Efeito silenciado,as nuvens dançam.
Empurradas pelos ventos viajantes...

Entardecidos em sinfônica letargia
 Os teus olhos, como o sol cintilam.
Reluzentes brilhos em pleno dia.
Tão rentes encantamentos desfilam.

Sabes assim, um pouco, contudo.
Aplacada sinceridade, amor, e carinho.
Ao meu coração, quando dizes mudo.
Em meu corpo, arrematado alinho.


 

Nenhum comentário: