quarta-feira, 24 de maio de 2017

AFIRMAÇÃO

A consternação incumbida ao amor.
Que dele, certamente, poderia afastar.
Mas, a quem caberia crescer dessa dor?
Senão alguém, que sofreu por amar...

O amor, um tempo, em si carrega.
 Editando uma história particular.
História que ás vezes, a razão nega.
Porém, a emoção insiste em grafar.

Morando juntos, os eternos opostos.
Um toma força, o outro debilita.
Entra pelos olhos, alegria, desgostos.
Razão e emoção, abranda e incita.

Porém a sina, quem pela vida passa.
Sem ter um dia, por amor sofrido.
Quando nenhuma história abraça.
Passando inerte, sem ter existido.

Pois, amar determina a existência.
Mesmo, quando reprovada concepção.
Revide galopante, dessa ambivalência.
Porém, pulsar vital, em única afirmação.



Nenhum comentário: