terça-feira, 11 de julho de 2017

REDESCOBERTA

Entardecido, em meu coração.
Que nem sabe, quanto te amo.
 Enlevada fonte, de repreensão.
Enlear contigo,quando me chamo.

Os dias dialogam comigo,enfim.
Cada um deles, ao costume teu.
Ás vezes ascendem, luzes carmim.
Clareando certo, o coração meu.

Se me esqueci, completamente.
Deixando-me, em algum lugar.
Agora, entardece simplesmente.
E eu, já nem tenho como voltar.

Jamais, me peças, doravante.
Para eu represar, meu sentimento.
Sou um volume, desse rompante.
Exótica síndrome, comprometimento.

Posso lentamente, contudo, esquecer.
Trocando um espaço, apenas comigo.
Porém, novamente, a me convencer.
Ao redescobrir-me, sempre contigo.

Nenhum comentário: