quinta-feira, 14 de junho de 2018

EXCLUSIVA

Amando,seguindo meus confins.
Simples, serenos, entretanto sutis.
Céu límpido, em manhãs de anis.
Noites ascendentes, tons carmins.

Jamais relatando,imensidade em ti.
O tamanho sentimento, me permeia.
Como uma  esplendorosa  lua cheia.
Quando fulgor sabendo, apenas de si.

Jamais sonho,eu estando contigo.
Assim ao meu lado, eternamente.
Espalhada está a  suave semente.
Forte dispersada,mas sem abrigo.

Enquanto, da liberdade de amar.
Conferida, minha  exclusiva dona.
Sentimento meu, oriundo  á tona.
Fazendo todo epidérmico arrepiar.

Eterno displicente,e contudo sente.
Uma vida desdobrando como ela é.
Herege, porém procurando numa fé.
O cintilo originando sonho diferente.

Nenhum comentário: