quarta-feira, 17 de junho de 2015

BADALOS DO CORAÇÃO-SONETO

 Sinos quando dobram, marcas sonoras.
Sempre precedidos, sonhando alguém
Muita lembrança, no badalo mora.
Ventanias  partem ,e chegam também.

O pensamento, um grande ilustrador.
Que recolhe lembranças tão queridas.
Ás vezes dobrando em horas de dor.
Também nas risonhas, horas da vida.

Quando dos sinos proclamada hora.
Insônia perdida em acanhada rua.
Motivo triste, pelo sono implora.

Também o coração, no badalo atua.
Do lindo amanhecer,daquela hora.
De felicidade, a presença tua.




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário