quinta-feira, 18 de junho de 2015

ENFIM

Coração  desertado, e fecundando.
Sustentando simplesmente, poesia.
Alma inspirada, no mundo vagando.
Chovendo, regando,florescente dia.

Como semente, brota esperançosa.
Disseminada onde, melhor convém.
Quando lembrança, letrada honrosa.
Cruzo meus mares, viajando além.

Constantemente convidada, assim.
Descompactada, emoção ameaça.
Quanta ternura, poesia em mim.
Leveza roça, transparência abraça.

Em uma saudade, uma ode sentida.
Eternamente, fotografia guardada.
Dentro do pensamento, enfim a vida.
Carregando motivos, a ser lembrada.


Nenhum comentário: