quinta-feira, 25 de junho de 2015

INVERSO

 As minhas lembranças, apenas não.
Resquícios de fidelidade, nem de nada.
Meu retrato, um rosto na mão.
E minha imagem tatuada.

Quando, sem motivos para acalmar,
Tuas buscas fugitivas, á tua fala!
Calou por nós, por medo de amar.
Arrume as roupas, refaça as malas!

Mas eu estarei, do teu lado, digo.
Em momento qualquer, onde, quando.
Um verso, insinuar [vem comigo]
Em algum lugar, eu te chamando.

E diante do fracasso, ou do inverso...
Sentires alguém vencido, pelo sucesso.
Linhas perdidas destes meus versos.

Quando inteira,em retrocesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário