terça-feira, 21 de julho de 2015

ANTÍTESE

Eternos contrastes nos prendem.
Como o sol e a lua, tão diferentes.
Mas, nossas emoções, entendem.
Eu e tu, ligados completamente.

Ás vezes, tu me dizes, sem dizer.
Com atitudes, até tão corriqueiras.
Diminui a distância, para me ver.
Depois,distancias tuas maneiras.

Quando eu digo, que não te amo.
Tu entendes, bendito, e contrário.
E de saudades tuas, eu reclamo.
Então, tu mudas, teu itinerário.

Simulamos, jamais apaixonados.
Contudo, precisamos, contrariar.
Quando insisto, em meus recados.
Simplesmente, tu finges, não ligar.

Porém, uma razão, sempre solta.
Que reforça, essa nossa, convicção.
Então, nosso amor, de paz envolta.
Contrariando,judiando do coração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário