terça-feira, 21 de julho de 2015

AONDE VAIS


Linha esperançosa me completa.
Colocada novamente, em tuas mãos...
Meu coração, uma exímia seta.
Quando te alcança, pelos vãos.
 
Porém, entendido teu olhar...
Ante meu coração, tão afeiçoado.
Mero acaso, ou escrita estelar.
Em meio justo, coração centrado.
 
Como cordilheira, quando tardada.
Avultada em flama, pois, brilha mais.
Subornada marca, aprofundada.
Como, lindas estrelas, em festivais.
 
Depois, acomodadas, em ventanias.
Dentre madrugada passeiam.
Toda cidade, em alegorias.
Luzes, singularmente, incendeiam.
 
Aonde vais, expões único legado...
Rastros de promessas, tão pretendidas.
Pequenos rumores,grandes recados.
Um dia nascendo, em nossas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário