sexta-feira, 17 de julho de 2015

EM TUDO MAIS


Uma condição atinada, um revide bom.
Que em mera distração, a vida me deu.
Em paisagens, em diversidade de tom.
Quando certamente, o coração elegeu.
 
Importa agora, depois de tanto pesar...
Dividir a solidão, com alguém em mente.
A extensão disso tudo, só faz se alongar.
Cumpre seu legado, sempre vai á frente.
 
Assim, morar, dentro de um coração claro.
Voador como pássaro, que sempre volta.
Tanto me preenche, em detalhes, nem reparo.
Amor verdadeiro, ao coração, que se solta.

Em travessia, uma ponte da provação.
Sentindo o mundo todo, ficar calado...
Soltura das rédeas, galopar do coração.
Sempre me conduz ao tanto esperado.
 
A comprimir os anseios, dilatar afronta.
Reparando de imediato, o minucioso.
A mesma saída, o destino aponta.
E uma chegada do então glamoroso.
 
Divagando no tempo, meus recados.
Absolutos, impolutos, até demais.
Ás vezes sinto meus pés descalçados.
Quando a vida reprisa, em tudo mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário