sábado, 14 de novembro de 2015

INTENTOS

Quanta saudade, meu amor!
Eu fui escrevendo, pelo caminho.
Bordando um sonho, dentro do linho.
Tecido de orvalho, por tenra flor.

Talvez, eu tenha sofrido, mesmo.
Estando feliz, parcialmente...
Minha saudade, até ficou doente.
Quando meu sonho, jogado a esmo.

Porém, tu vieste, tão atrasado.
E minhas portas, todas trancadas.
Contudo,os vendavais das madrugadas.
Deixaram os trincos, destravados.

E pelos meus caminhos abandonados.
Propositalmente, intentos esquecidos...
Tristes sonhos, tão reprimidos.
Dentre silêncio, assim refreados..


Nenhum comentário:

Postar um comentário