quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

A HORA DA FÉ


Paira no ar, algo inusitado.
Uma esperança, aguardado recado.
E sob qualquer condição...
Inspira, refina, toca com a mão.

Utopia jamais, á sensibilidade.
Um aniversariante propõe verdade.
Também desce sob a colina...
Cidades e campos, vestimentas divina.

Então, todos, com amor renovado.
Quando o sonho, de luzes bordado.
Ponto por ponto, tendo á mão...
  A hora da fé, em suave oração.





Nenhum comentário:

Postar um comentário