domingo, 6 de março de 2016

SABERÁS

Saberás quanto, dentre entardecer
Enquanto nossas vidas, delicadas.
Fragilidade pueril, vamos conceber .
Um sol lento, brilhando nas estradas.

Saberás o motivo, e sempre o maior.
Quando as lágrimas fizeram tanto!
Cada momento, guardado de cor.
Reiterado amor, doce e sacrossanto.

Saberás das estrelas, quando céu.
Explícito contentamento expor...
Vagando suave, seguramente ao léu.
Qualquer inspiração, indelével amor.

Saberás o  acuamento, muito contente.
Momentos, sempre reservastes.
 Em breve sorriso e tão somente...
Interpelado,saberás que me amastes.

Nenhum comentário: