segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

CANÇÃO SOLENE

Quanto o coração, decide assim.
Um pulsar colocado, em tuas mãos.
E sem jamais admitir um fim...
Elevado ao  limite, da compleição.

A vida passa cultivando  alegria.
Que distancia,  sempre da tristeza.
Enquanto paz ,elucidada  harmonia.
Contemplando alegre, tal delicadeza.

Quando o tempo admite dirigir termos.
E necessariamente, a vida quer ouvir.
Abarcando, dessa elevação, os ermos.
Mesmo assim a lógica, para melhor agir.

Olhar sereno, diz palavras tão claras.
Mas, só coração consegue verbalizar.
Feito justa compostura, alivia e sara...
Apenas o amor, permite vivenciar.

Encanto, disseminada uma alegria.
Assim perto, de uma vida  pacificada.
A alma feliz, mantém em maestria.
Canção solene, ao amor consagrada.



Nenhum comentário: