sábado, 25 de fevereiro de 2017

SEJA NOSSO BEM

Jamais assim, e procedido, então.
Abdicada clave, decodifica melodia.
Inalterada, enquanto sensação.
Livre e coibida, ínfima e baldia.

Preservado corpo, tal isolamento.
Quando solicitude, e nada mais.
Apático silêncio, retesado invento.
Vestido cabimento, unidos ramais.

Sugerida a elucidação paciente.
Enquanto, um rompante relata.
A veridicidade mais eficiente.
Quando, entre sentidos, desata.

Sigamos o intento da prosperidade.
Seja nosso bem, um tributo à prece.
Livres pássaros incisando cidade.
Que um relicário, das alçadas tece.


Nenhum comentário:

Postar um comentário