sábado, 15 de abril de 2017

ATALHO

Jamais perfilhemos como melhor data.
Uma ampla recompensa estipulada.
Porém, enquanto da vida, eterna precata.
Um sonho, com esperança vinculada.

Eternamente de alma rejuvenescida.
Quando prezamos pela maestria.
Em tempo vaza uma arte embebida.
Que sempre arrebanha sabedoria.

Jamais nos percamos, em desarmonia.
Em um comporte, ou permissão.
Total poder, um resquício inundaria.
Carece minorar, para somente dar vazão.

O tempo, linha espessa risca a vida.
Traçado como, uma estaca rente.
Galgando degraus, soletra subida.
Ensina e aprende simultaneamente.

Como acompanha logicamente.
Também sentimos, se soubermos assim.
Traçamos atalhos, constantemente.
Em eternos erros, os acertos enfim.


Um comentário:

Tais Luso disse...

Traçamos atalhos constantemente.
Em eternos erros, os acertos enfim.


A vida é essa luta, é o andar escolhendo os caminhos para seguirmos em linha reta. Lindo!
Um beijo querida amiga, e uma Páscoa feliz!