domingo, 4 de junho de 2017

O SEMPRE

O que explica o sempre refletido?
Como nunca acaba, e permanece.
Aonde perambula esse entendido.
Feito lembrança, jamais esquece.

Sempre uma espera, enquanto.
A vida lampeja, nesse ascendente.
Impera feito, promessa ao santo...
Tempo único, também permanente.

Como se esse “sempre” existisse.
Enquanto o tempo, numa gaveta.
Juventude, idade adulta, velhice...
Entretanto "sempre “tal opereta.

Tocante permissivo á vida passar.
Permissão as notas esparramadas.
Para sempre poder recordar...
As lembranças, as nossas pegadas.

Sempre jamais se explica, porém.
Vem dar vazão, sem entendimento.
A vida, um mistério, o  sempre vem.
 Grafando uma nota, a cada momento.

Nenhum comentário: