sábado, 4 de agosto de 2018

ROSTO

As letras soletrando, formato do rosto.
Reunidas na noite, formando cirandas.
As mãos escrevendo, com  fino gosto.
Á distância, uma paixão, tu comandas

Entre astros, descrevendo um fadário.
Deixando em minha alma, fortes trilhas.
Teus olhos, talvez sejam  lampadários.
Percorrendo num instante,  as milhas.

Caindo devagar, os mutantes sonhos.
Distantes, só em ventanias alcançam.
Sendo assim, simulas  astros risonhos.
Mesmo longe, meus sentidos balançam.

Palavras soletrando, o estrangeiro rosto.
Pelo tempo, caprichosamente lapidado.
Sentimento puro, em minha alma posto.
Parecendo,  mais lindo canteiro  regado.

Comparado rosto, como uma emoção.
Chegando sem licença, para se instalar.
Procurando uma vaga, no meu coração.
Firmando promessa, jamais se ausentar.

Nenhum comentário: